Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Temor de recessão maior derrubou bolsas nos EUA ontem

SÃO PAULO - As bolsas de valores norte-americanas e européias fecharam em queda ontem, diante de mais evidências de que a recessão, que já dura um ano, continuará a corroer os lucros corporativos. Ao mesmo tempo em que varejistas despencaram diante de temores de que a temporada de compras do final do ano pode ser a pior em 40 anos.

Valor Online |

O índice Dow Jones teve baixa de 0,69%, a 8.519 pontos. O Standard & Poor´s 500 declinou 1,83%, a 871 pontos. O Nasdaq recuou 2,04%, a 1.532 pontos.

O setor automotivo foi novamente mais uma fonte de ansiedade para os investidores, rompendo com o alívio propiciado pelo acordo de resgate para as montadoras norte-americanas, conseguido na semana passada.

A japonesa Toyota informou que registrará um prejuízo operacional pela primeira vez em 71 anos, o que fez com que suas ações despencassem mais de 5%, ao mesmo tempo em que os investidores temiam que o plano de resgate para a General Motors deixará os acionistas da empresa ao relento. Os papéis da GM caíram 20%.

Já as bolsas de valores da Europa fecharam em queda abatidas por ações de bancos, montadoras e petrolíferas e influenciadas pelo mau humor de Wall Street. O índice FTSEurofirst, que reúne as principais praças da região, teve queda de 1,65%, a 809 pontos. Foi o sétimo dia de queda nos últimos oito pregões. Em Londres, o índice Financial Times cedeu 0,88%, a 4.249 pontos. Na Alemanha, o DAX recuou 1,23%, para 4.639 pontos.

Os bancos lideraram as perdas do dia, com Santander caindo 2,77% e UBS recuando 4,3%. O BNP Paribas perdeu 2,34%, em meio à renovação dos temores de que o banco tenha que levantar capital se não comprar o Fortis.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG