BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Michel Temer (SP), licenciou-se ontem da presidência do PMDB e em seu lugar assumiu a deputada federal Iris de Araújo (GO). Apesar do afastamento temporário do cargo, Temer continuar conduzindo articulações políticas do partido e será um dos principais negociadores dos acordos para 2010.

No PMDB, o grupo de Michel Temer controla a máquina partidária e tem ampla maioria de presidentes de diretórios estaduais.

O mandato de Temer havia sido prorrogado até março de 2010 e o pemedebista justificou o afastamento como forma de evitar críticas por acumular a função com a presidência da Câmara dos Deputados.

Ao assumir o cargo, Iris de Araújo, esposa do prefeito de Goiânia, Iris Rezende, defendeu o PMDB das críticas de corrupção, feitas por próprios pemedebistas, como os senadores Jarbas Vasconcelos e Pedro Simon. " O senador [Jarbas Vasconcelos] tem o direito de expressar sua opinião pessoal, mas não pode generalizar. Cada um pode se manifestar como bem entender. A conduta do partido será a mesma que tem sido até agora " , afirmou Íris.

Nos bastidores, pemedebistas afirmam que Temer continuará conduzindo os rumos da legenda e que a deputada cuidará apenas de questões burocráticas e administrativas. No fim do mês passado, o partido havia anunciado que Temer acumularia as funções de presidente da Câmara e da legenda. Atualmente, o PMDB é a maior bancada no Congresso, com 20 senadores e 94 deputados, além de 2.038 vereadores e 1.038 prefeitos, dos quais cinco em capitais. O ex-senador Joaquim Roriz (PMDB) e o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) participaram da transmissão de cargo.

(Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.