Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Teles ainda não pensam em questionar Plano de Banda Larga na Justiça

As empresas de telefonia ainda não têm uma posição fechada sobre se irão questionar na Justiça o Plano Nacional de Banda Larga. Já há alguns pronunciamentos de especialistas do setor, advogados e parlamentares sobre a necessidade de um projeto de lei para dar à Telebrás a função de gestora do Plano Nacional de Banda Larga - e não por decreto presidencial, como prevê o governo.

AE |

As empresas de telefonia ainda não têm uma posição fechada sobre se irão questionar na Justiça o Plano Nacional de Banda Larga. Já há alguns pronunciamentos de especialistas do setor, advogados e parlamentares sobre a necessidade de um projeto de lei para dar à Telebrás a função de gestora do Plano Nacional de Banda Larga - e não por decreto presidencial, como prevê o governo. "Ninguém está pensando em nada", disse o presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, ao sair de reunião de apresentação do Plano, na Casa Civil. "Na próxima semana, deve ser publicado um decreto e aí teremos mais elementos para fazer uma avaliação. Hoje seria absolutamente leviano da parte de qualquer pessoa fazer essa avaliação", acrescentou Valente. O diretor executivo da Associação Brasileira de Telecomunicações, Eduardo Levy, também concorda que não é o momento de se pensar em ações judiciais contra o plano. "A Justiça é sempre a última opção que se deve ter quando se discute alguma coisa em que há interesses comuns", disse. O executivo lembrou que o próprio governo, ao apresentar o plano, deixou claro que está disposto a conversar com as empresas do setor privado todas as possíveis divergências existentes e tentar encontrar, no diálogo, uma solução. "Precisamos desarmar um pouco esse tipo de pensamento", disse Levy.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG