SÃO PAULO - O lucro líquido da Telefônica fechou o ano de 2008 em R$ 2,420 bilhões, um aumento de 2,4% em relação a 2007, quando havia registrado um resultado líquido de R$ 2,363 bilhões. No trimestre final de 2008, o lucro da empresa avançou 12,1% em relação ao quarto trimestre de 2007 e somou R$ 719,1 milhões.

A receita operacional líquida do período totalizou R$ 15,979 bilhões no ano, com aumento de 8,5% frente a 2007. Desse total, R$ 4,124 bilhões foi apurado no quarto trimestre, equivalente a uma alta de 10,4% ante igual intervalo de 2007.

O resultado da empresa medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avançou 4,6% e atingiu R$ 6,555 bilhões no ano. No período trimestral de outubro a dezembro, o aumento foi de 11,4% e somou R$ 1,700 bilhão.

O destaque de desempenho foi da operação de banda larga, representada pelas bandeiras Speedy e Ajato, cuja base de clientes somou pouco mais de 2,5 milhões de assinantes, com alta de 4,1% em relação ao terceiro trimestre. No ano todo de 2008, o aumento foi de 23,6% na base de assinantes.

Em receita bruta, o serviço de transmissão de dados rendeu R$ 3,759 bilhões, com aumento de 25,5% no ano. De outubro a dezembro, essa receita avançou 24,3% e totalizou R$ 1,025 bilhão.

Também avançou a receita da empresa com ligações de Longa Distância Nacional (LDN), que subiu 18,3% em relação a 2007 e atingiu R$ 3,808 bilhões no ano de 2008. Na comparação trimestral, a expansão foi de 32,9%. A empresa justifica essa expansão por conta do aumento do mercado de telefonia móvel, que gera expansão do uso do código. Além disso, a tarifa teve aumento de 3,01% em julho do ano passado.

Em contrapartida, a receita bruta com serviço local caiu 8,7% no ano, com um total de R$ 2,562 bilhões no ano. No trimestre, a baixa foi de 1,5%. A redução é explicada pela empresa pela redução do tráfego excedente gerado por venda de pacotes com ligações locais ilimitadas.

No serviço de TV por assinatura, lançado em agosto de 2007, a receita no ano foi de R$ 379 milhões, com base de 472.222 clientes. No comparativo trimestral a evolução da receita foi de 28,9%, para R$ 30,2 milhões, com alta de 11,1% na base de clientes.

Em seu balanço a empresa mostra ainda que as provisões para riscos gerados por inadimplência diminuíram tanto no ano como no quarto trimestre. Em 2008 elas caíram 17,5%, para R$ 538,6 milhões, e no trimestre recuaram em R$ 14,4 milhões, o equivalente a uma baixa de 8,7% em relação ao quarto trimestre de 2007. A empresa atribuiu isso à melhoria da política comercial da empresa feita em 2007.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.