Tamanho do texto

A espanhola Telefónica, ao comentar seu desempenho no terceiro trimestre, quando obteve queda de 50% em seu lucro líquido, para 2 bilhões de euros, destacou as operações na América Latina. A unidade Telefónica Latinoamérica chegou ao final de setembro com 150 milhões de clientes, aumento de 21,1% ante setembro de 2007.

"A Telefónica Latinoamérica consolida sua posição como principal motor de crescimento do Grupo, mostrando uma aceleração no crescimento orgânico das receitas, que aumentam 12,9% em janeiro-setembro de 2008 (vs. 12,2% em junho de 2008)", diz o relatório.

Em termos de receita, dentro da unidade Telefónica Latinoamérica o Brasil é o país com maior fatia de contribuição, 40,2%, ante 38,4% no mesmo período de 2007, "graças à boa evolução das receitas da Telesp e da Vivo", como afirma o relatório. As receitas totais do grupo Telefónica subiram 5,7% no terceiro trimestre para 14,99 bilhões de euros, e em nove meses cresceram 11,1% para 16,311 milhões de euros ante os mesmos períodos, respectivamente, de 2007.

Na América Latina, os negócios de telefonia móvel somam 118,3 milhões de acessos, com um ganho líquido de 4,8 milhões de acessos no trimestre. Especificamente no Brasil, o relatório da companhia aponta que a Vivo responde por 42,3 milhões de acessos móveis, com um ganho de 1,8 milhão de clientes no trimestre.

Em telefonia fixa, ao final do terceiro trimestre o número de acessos na América Latina era de 25,8 milhões, avanço de 1,4% sobre setembro de 2007. Do total, 11,9 milhões de acessos correspondem à operação brasileira.

Em TV paga, a operação na América Latina atendia 1,5 milhão de clientes ao final de setembro de 2008, alta de 66% ante setembro de 2007. No Brasil, eram 426,123 mil acessos até setembro.

O número de acessos em banda larga na região chegava a 5,8 milhões no nono mês deste ano, alta de 24,9% sobre o terceiro trimestre do ano passado. No Brasil, a Telesp possui 2,5 milhões de acessos "varejistas" de banda larga, alta de 26,9% sobre setembro de 2007, com novos 388,656 mil acessos até setembro deste ano.

"O fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) gerado pelas operações da Telefónica no Brasil alcança 1,426 bilhão de euros nos nove primeiros meses de 2008, 14,6% inferior em moeda local ao do mesmo período de 2007, pelo esforço de investimentos realizado pela Companhia. Excluindo a aquisição das licenças 3G do fluxo de caixa operacional da Telefónica no Brasil nos nove primeiros meses de 2008 se mantém praticamente nos níveis de 2007 (-0,5% ano-a-ano em moeda local)", informa o relatório.

O investimento (capex) acumulado até setembro de 2008 no Brasil é de 1,106 bilhão de euros.