Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou que a Telco, controladora da Telecom Italia, realize oferta pública de aquisição das ações pertencentes aos minoritários da TIM Participações, braço da operadora italiana no Brasil. Após um longo período de análises, a autarquia entendeu que o rearranjo acionário ocorrido em 2007 na Telecom Italia configurou, sim, mudança no controle da empresa brasileira, situação que exige oferta aos minoritários.

Na ocasião, reunidos da holding Telco, a espanhola Telefónica juntamente com os grupos italianos Assicurazioni Generali, Sintonia S.A., Intesa SanPaolo e Mediobanca adquiriram da Pirelli 100% do capital da Olímpia, sociedade que detinha o controle da Telecom Italia.

Apesar da troca de cadeiras, a alegação era de que o controle da TIM Participações continuava inalterado nas mãos da Telecom Italia e que por isso não caberia OPA aos minoritários da operação brasileira. O argumento, entretanto, não convenceu a CVM, que acabou determinando a publicação do seu entendimento em favor da oferta pública.

A Telecom Italia possui hoje 69,7% do capital da TIM Participações, sendo 81,2% das ações ordinárias, com direito a voto. Segundo uma fonte da operadora no Brasil, em caso de adesão integral dos minoritários, a oferta movimentaria algo próximo a 200 milhões de euros.

Às 13h40, a ação ordinária da TIM Participações registrava alta de 30,50% no pregão da bolsa paulista, negociada a R$ 6,93. O papel preferencial subia 2,79%, cotado a R$ 3,31.

(Murillo Camarotto | Valor Online e Talita Moreira | Valor Econômico)