SÃO PAULO - A taxa de desemprego urbano na China ficou em 4,2% no fim de 2008, apresentando um aumento de 0,2 ponto percentual na comparação anual. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Ministério dos Recursos Humanos e da Seguridade Social chinês.

Em 31 de dezembro do ano passado, havia 8,86 milhões de chineses moradores das áreas urbanas desempregados, 560 mil a mais do que no fim do terceiro trimestre, segundo afirmou o porta-voz do ministério, Yin Chengji à Xinhua, agência oficial de notícias do país.

O ministro disse ainda, que 11,13 milhões de empregos urbanos foram criados no ano passado, 11% a mais do que o previsto pelo governo. "Os resultados não foram ruins, mas a situação real poderia ser muito mais séria, pois os trabalhadores imigrantes e os jovens recém-formados não estão incluídos nesta conta do governo", afirmou à agência oficial o assessor da Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento chinesa, Tang Min.

A taxa de desemprego urbano vinha caindo por cinco anos consecutivos, de 4,3% em 2003 para 4% em 2007. Segundo Tang Min, estes dados mostram os efeitos da desaceleração econômica diante da crise financeira internacional.

(Vanessa Dezem | Valor Online com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.