Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Taxa de desemprego em 6 regiões metropolitanas é a menor desde 1998 para o mês de agosto

A Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese, aponta para um contingente de desempregados, em seis regiões metropolitanas, de 2.911 mil pessoas, 22 mil a menos do que no mês anterior. Apesar de ter se mantido quase estável, a taxa de desemprego total (14,5%) é a menor para este mês desde 1998.

Redação |

Acordo Ortográfico

O movimento da taxa de desemprego total resultou de comportamentos diferenciados entre as regiões pesquisadas: redução em Porto Alegre, Salvador e Recife; e relativa estabilidade em São Paulo, Belo Horizonte e Distrito Federal.

O número de postos de trabalho criados (94 mil) superou o de pessoas que ingressaram no mercado de trabalho (72 mil), o que resultou no decréscimo do contingente de desempregados (22 mil).

O total de ocupados nas seis regiões foi estimado em 17.217 mil pessoas e a População Economicamente Ativa, em 20.128 mil.

Em agosto, o nível de ocupação cresceu em Salvador (1,6%), Porto Alegre (1,4%), Belo Horizonte (1,1%) e Recife (1,0%) e apresentou relativa estabilidade no Distrito Federal (0,1%) e em São Paulo (0,1%).

Segundo os principais setores de atividade, o nível ocupacional cresceu na Construção Civil (24 mil novas ocupações, ou 2,6%), nos Serviços (75 mil, ou 0,8%) e no Comércio (11 mil, ou 0,4%), ficou estável na Indústria (+1 mil).

Região metropolitana de SP

As informações da PED na Região Metropolitana de São Paulo mostram que, pelo quinto mês consecutivo, a taxa de desemprego total permaneceu relativamente estável, ao passar de 14,1%, em julho, para os atuais 14,0%. Mesmo assim, esta é a menor taxa para agosto, desde 1996.

O contingente de desempregados variou negativamente (11 mil) e foi estimado em 1.476 mil pessoas, resultado da relativa estabilidade do nível de ocupação (acréscimo de 6 mil postos de trabalho) e da PEA (saída de 5 mil pessoas).

Em agosto, o nível de ocupação manteve-se praticamente estável (0,1%) e o contingente de ocupados foi estimado em 9.066 mil pessoas, apenas 6 mil a mais do que em julho. Tal resultado deveu-se a comportamentos distintos entre os setores analisados: crescimento nos Serviços (1,0%) e pequeno decréscimo no Comércio (0,5%), na Indústria (0,5%) e, com maior intensidade, no agregado Outros Setores (2,5%).

Entre junho e julho de 2008, tal como no mês anterior, houve redução dos rendimentos médios reais de ocupados (1,8%) e assalariados (3,6%), que passaram a corresponder a R$ 1.193 e R$ 1.246, respectivamente.

Leia mais sobre desemprego

Leia tudo sobre: desemprego

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG