Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

TAM e Gol obtêm áreas para terminais em Guarulhos

SÃO PAULO - A TAM e a Gol conseguiram áreas no aeroporto internacional de Guarulhos para construir terminais de cargas. A Infraero, estatal que administra a infra-estrutura aeroportuária, informou que apenas as duas companhias aéreas mostraram interesse por dois terrenos existentes, de forma que não foi aberto processo de licitação para a concessão das áreas.

Valor Online |

A TAM terá um terreno de aproximadamente 8,8 mil m, segundo a Infraero. A Gol informou que sua área está próxima de 10 mil m.

A TAM calcula que serão necessários investimentos de aproximadamente US$ 30 milhões para erguer o terminal. A estrutura dará suporte ao manuseio de carga internacional, segmento em ascensão desde que a companhia aérea ampliou a oferta de vôos ao exterior, especialmente para a Europa.

Os investimentos podem acontecer em 2009 desde que a TAM consiga financiamento com o BNDES, disse o vice-presidente de finanças e relações com investidores da empresa, Líbano Barroso. Na segunda-feira, durante apresentação para investidores, o executivo informou que a prioridade da companhia aérea no próximo ano é preservar o caixa e o nível de liqüidez, de forma que projetos dependentes de recursos próprios podem ser adiados. A TAM também disse que pretende cortar entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões em custos não ligados diretamente às operações aéreas.

A Gol informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que pretende começar os investimentos o mais rápido possível. A empresa depende apenas de algumas assinaturas finais no processo de concessão.

Entre janeiro e setembro, a TAM obteve receita de R$ 730 milhões com transporte de cargas, o que representa pouco mais de 9% da receita bruta total da companhia no período, de R$ 7,97 bilhões. A carga internacional, sozinha, gerou R$ 393 milhões. Neste ano, a empresa ampliou sua oferta internacional de vôos para carga e passageiros em 40%. Um dos impulsos para esse aumento foi a incorporação de dois Boeings 777 na frota, que têm porões maiores, em substituição a aeronaves MD-11.

No caso da Gol, a companhia obteve receita líquida de R$ 170 milhões com cargas nos primeiros nove meses deste ano, valor 46% superior ao registrado no mesmo período de 2007. A empresa atua principalmente com carga doméstica.

Leia tudo sobre: tam gol cargas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG