Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Superávit primário do semestre é o melhor da série histórica

BRASÍLIA - O superávit primário do setor público consolidado acumulado em R$ 86,116 bilhões é o melhor para o primeiro semestre da série histórica iniciada em 1991, informou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes. A economia para o pagamento de juros da dívida em 12 meses até junho, de R$ 116,048 bilhões, é outro recorde. O superávit primário é a economia que o governo faz para o pagamento da dívida pública.

Redação com agências |


O superávit primário das contas públicas no primeiro semestre do ano foi de R$ 86,116 bilhões, o que equivale a 6,19% do Produto Interno Bruto (PIB). No período de 12 meses encerrado em junho, o superávit totalizou R$ 116,048 bilhões (4,27% do PIB).

Altamir destacou que o governo deve cumprir sem problemas a meta fiscal para 2008. Ele trabalha com 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB), com elevação de 0,5 ponto do PIB anunciada pelo governo sobre a meta oficial de 3,8% para formação do Fundo Soberano. Por isso, disse, o resultado da economia para pagar juros em 12 meses, equivalente a 4,27% do PIB, está dentro do esperado.

O representante do BC comentou que o desempenho da União deve ter a contribuição das estatais federais, que, no primeiro semestre de 2008, concentraram a distribuição de dividendos, royalties e investimentos e não tiveram boa performance. Lopes disse que a meta fiscal da União é sempre complementada com o esforço das estatais.

"Nossa expectativa para o resto do ano é de que o superávit primário vai gravitar ao redor desse patamar de junho (4,27% do PIB) com a ajuda de economia das estatais federais e também dos governos regionais, que estarão presos às restrições eleitorais e não poderão elevar gastos", observou.

Dados do BC

O resultado de junho foi gerado a partir do saldo positivo de R$ 7,067 bilhões das contas do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e BC), superávit de R$ 3,096 bilhões dos governos regionais (Estados e municípios) e de R$ 1,002 bilhão das empresas estatais. Nas contas regionais,o destaque foi o resultado dos Estados, que economizaram R$ 2,539 bilhões em junho. Entre as estatais, as empresas federais tiveram superávit de R$ 919 milhões em junho.

A despesa com juros do setor público em junho foi de R$ 16,994 bilhões, um volume 54,91% superior ao verificado em igual período do ano passado. No primeiro semestre do ano, as despesas com juros atingiram R$ 88,026 bilhões, o equivalente a 6,32% do PIB.

Considerando a despesa com juros, as contas públicas tiveram em junho um déficit nominal de R$ 5,829 bilhões, segundo os dados do BC. No primeiro semestre, o setor público registrou déficit nominal de R$ 1,910 bilhão, o equivalente a 0,14% do PIB. Nos últimos 12 meses encerrados em junho, o setor público apresentou déficit nominal de R$ 52,656 bilhões, o equivalente a 1,94% do PIB.

Dívida x PIB

O indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB ficou em 40,4%, em junho, o equivalente a R$ 1,18 trilhão, segundo informações do BC. O número representa melhora ante o resultado de maio, quando o indicador estava em 40,6% do PIB. No ano, o indicador caiu 2,3 pontos porcentuais, já que em dezembro de 2007 estava em 42,7%.

Com informações do Valor Online e Agência Estado

Leia mais sobre superávit primário

Leia tudo sobre: superávit primário

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG