Por Antonio de la Jara e Alonso Soto

SANTIAGO (Reuters) - A siderúrgica e produtora de minério de ferro chilena CAP planeja investir cerca de 2,6 bilhões de dólares até 2015, à medida que a demanda por seus produtos cresce e apesar dos danos à sua usina de aço com o terremoto no Chile em fevereiro.

" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

SUMMIT-Chilena CAP planeja investir US$2,6 bi até 2015

Por Antonio de la Jara e Alonso Soto

SANTIAGO (Reuters) - A siderúrgica e produtora de minério de ferro chilena CAP planeja investir cerca de 2,6 bilhões de dólares até 2015, à medida que a demanda por seus produtos cresce e apesar dos danos à sua usina de aço com o terremoto no Chile em fevereiro.

Reuters |

Por Antonio de la Jara e Alonso Soto

SANTIAGO (Reuters) - A siderúrgica e produtora de minério de ferro chilena CAP planeja investir cerca de 2,6 bilhões de dólares até 2015, à medida que a demanda por seus produtos cresce e apesar dos danos à sua usina de aço com o terremoto no Chile em fevereiro.

O presidente-executivo da empresa, Jaime Charles, disse durante o Reuters Latin American Investment Summit nesta segunda-feira que a companhia pretende dobrar sua produção de minério de ferro para 20 milhões de toneladas até 2014 ou 2015.

A unidade de aço Huachipato deverá voltar a produzir normalmente em agosto, disse Charles. A usina siderúrgica deve produzir cerca de 800 mil toneladas este ano, ante estimativa anterior ao terremoto de 1,2 milhão de toneladas em 2010.

Segundo ele, o seguro da empresa de 180 milhões de dólares irá cobrir "com tranquilidade" os danos causados à unidade pelo tremor no Chile.

Ironicamente, o aumento da procura por aço esperada com a reconstrução de áreas atingidas pelo terremoto deverá ajudar a CAP a se recuperar na segunda metade do ano, afirmou o executivo.

"A partir de julho, o mercado de aço no Chile estará muito ativo porque o planejamento pós-terremoto terá amadurecido", comentou.

"Os projetos de construção e infraestrutura pública estarão mais claros e aí estará a forte demanda por aço, que eu acredito que continuará forte no ano que vem e no ano seguinte."

A CAP foi forçada a fechar a unidade Huachipato depois do tremor de magnitude 8,8 que deixou centenas de mortos e destruiu áreas no centro-sul do Chile.

VOLTA AO LUCRO E EXPANSÃO

Charles disse que a forte demanda e os preços do aço em alta irão ajudar a CAP a voltar ao lucro este ano, depois do prejuízo de 14,8 milhões de dólares em 2009.

O resultado do primeiro trimestre foi atingido pelos danos do terremoto à unidade Huachipato, mas ainda assim os números para o período vão mostrar "um bom início de 2010".

As vendas da CAP devem ser maiores que o 1,38 bilhão de dólares do ano passado, disse Charles.

A empresa pretende investir ao redor de 300 milhões de dólares este ano, com recursos próprios, e não tem planos de emitir dívida, segundo Charles.

A CAP decidirá no final deste ano sobre um investimento de pelo menos 1 bilhão de dólares para elevar sua capacidade de produção de aço para no mínimo dois milhões de toneladas por ano.

Charles disse que qualquer expansão deve exigir um parceiro, e a produção adicional de aço poderia ser vendida no Peru e na Colômbia.

(Reportagem adicional de Simon Gardner)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG