Tamanho do texto

O Brasil perdeu lugar nas mesas dos suíços. Um dos pratos mais tradicionais da culinária dos países dos Alpes - a salsicha - não será mais fabricado com ingredientes brasileiros, mas sim da Argentina.

O assunto se transformou em debate nacional na Suíça, com o envolvimento até do Senado do país e mesmo reuniões com o ministro das Relações Exteriores, o chanceler Celso Amorim.

O problema alegado é a falta de controle sanitário no Brasil, que acabou obrigando os suíços a seguir as recomendações da União Européia (UE) e adotar um embargo contra as carnes nacionais. Em 2006, o governo suíço adotou uma série de barreiras sanitárias contra a carne brasileira. O temor dos europeus era de que o intestino dos animais brasileiros estivessem contaminados pela febre aftosa.

As barreiras acabaram afetando o prato nacional suíço. Para que seja produzida, a salsicha precisava do intestino da vaca brasileira, mais precisamente da tripa do gado Zebu, que permite o revestimento da carne com um diâmetro de 36 a 38 milímetros. No total, a indústria suíça precisa de cerca de 20 mil quilômetros de tripas para embalar as salsichas por ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.