Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Suíça também reduz juros e nega ação coordenada

O Banco Nacional da Suíça (SNB, banco central do país) reduziu a margem para a meta da taxa Libor de três meses em 0,50 ponto porcentual, para 1,5% a 2,5%. A decisão entra em vigor imediatamente.

Agência Estado |

Segundo o banco central suíço, a perspectiva econômica global deteriorou mais do que o esperado, o que vai impactar o crescimento da Suíça nos próximos trimestres; em 2009 pode haver inclusive retração. Além disso, a desaceleração econômica, o declínio do preço do petróleo e a apreciação do franco suíço estão reforçando a expectativa de queda da inflação.

O afrouxamento da política monetária, de acordo com a autoridade, dará ímpeto à atividade econômica e não irá prejudicar o retorno à estabilidade dos preços. O SNB disse que continuará fornecendo liquidez ao mercado monetário de franco suíço de maneira "generosa e flexível" e acompanhará de perto o movimento da moeda nos mercados cambiais.

O banco central suíço afirmou que o corte da banda para a taxa Libor de 3 meses, que equivale, na prática, a uma redução da taxa básica de juros do país em 0,50 ponto porcentual, para 2%, não foi coordenado com outros bancos centrais. A decisão foi anunciada hoje no mesmo momento em que o Banco da Inglaterra (BoE) reduziu a taxa básica de juros para a economia do Reino Unido em 1,5 ponto porcentual, para 3% ao ano. "Trata-se de uma decisão individual do SNB", disse o porta-voz do BC Werner Abegg. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: suiça juros

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG