Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Strauss-Kahn participará de reunião de ministros do G20 em SP

Washington, 30 out (EFE) - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, participará da reunião de ministros de Economia e presidentes de bancos centrais do Grupo dos Vinte (G20) que será realizada entre 8 e 9 de novembro em São Paulo, informou hoje o organismo.

EFE |

Esse encontro anual ocorrerá uma semana antes da cúpula de chefes de Estado e de Governo dos membros do G20 em Washington, onde eles analisarão uma resposta coletiva à crise econômica e as mudanças necessárias no sistema financeiro mundial.

Strauss-Kahn também participará do encontro de Washington, no qual entregará, em nome do Fundo, um documento sobre as lições a serem aprendidas com a crise, explicou hoje David Hawley, um porta-voz da entidade, em entrevista coletiva.

O G20 é formado pela União Européia (UE), o Grupo dos Oito (G8), formado por Estados Unidos, Canadá, Japão, Alemanha, Reino Unido, Itália, França e Rússia, além de Brasil, Coréia do Sul, Argentina, Austrália, China, Índia, Indonésia, México, Arábia Saudita, África do Sul, Turquia e Rússia.

O funcionário também anunciou que o vice-diretor-gerente do FMI, John Lipsky, estará em Trujillo, no Peru, entre 4 e 6 de novembro para participar da reunião de ministros de Economia e Finanças do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec).

Na entrevista coletiva, Hawley reconheceu que o FMI "pode precisar de mais recursos" para conceder empréstimos a países com problemas pela crise e, por isso, analisa como consegui-los.

Hawley não quis explicar as opções manipuladas pelo FMI, mas descartou que exista atualmente um plano para a emissão de bônus.

Com a crise, aumentou o número de países que desejam créditos do FMI, que, nos últimos anos, tinha ficado quase sem clientes.

O organismo conta com US$ 200 bilhões em seu poder e poderia obter facilmente outros US$ 50 bilhões de países-membros com os quais tem linhas de crédito.

Segundo o vice do Fundo, o órgão estuda agora como captar fundos acima desse valor. EFE cma/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG