O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, disse hoje que pode haver uma queda nos preços do feijão em até 180 dias (seis meses). Segundo ele, os preços podem recuar porque a produção deve aumentar devido às medidas de estímulo à produção anunciadas ontem em Curitiba.

A principal medida foi a correção de 65% no preço mínimo de garantia.

De acordo com o ministro, a resposta só não será mais rápida porque o sistema de produção de feijão no inverno depende da irrigação e não há grande quantidade de pivôs no País.

Arroz

Sobre o arroz, ele avaliou que houve uma estabilização de preços nas últimas semanas. Stephanes explicou que o cereal é muito consumido no mundo, mas que o produto não é comercializado entre os países.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.