Brasília, 15 - O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou hoje que a crise financeira que teve início nos Estados Unidos e se espalha para outros países dificilmente deve atingir os mercados de commodities agrícolas e, por conseqüência, reduzir os preços dos alimentos no mercado internacional. O ministro comentou que os preços das commodities subiram nos últimos meses por conta, inclusive, de um componente especulativo nos mercados de derivativos.

Essa especulação, segundo ele, provocou "uma queda razoável" nos preços dos alimentos. Stephanes salientou que o mundo vive uma "segunda onda" de crise, mas que "ninguém sabe ao certo qual é o seu tamanho". Mesmo assim, ele reforçou que os preços dos alimentos não devem cair, pois o componente especulativo já foi eliminado do mercado.

Em termos de exportação, o ministro observou que não haverá prejuízos para o Brasil, mesmo se houver um enfraquecimento da economia mundial. Para Stephanes, a crise atual deve atingir os países desenvolvidos. Segundo ele, boa parte da exportação brasileira vai para os países em desenvolvimento. A China, por exemplo, tem se apresentado como principal comprador de alimentos do Brasil. O ministro disse ainda que as previsões de exportações para o ano estão mantida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.