A companhia norte-americana Sprint Nextel vai cortar cerca de 8 mil empregos, ou 13% de sua força de trabalho total, em todos os seus níveis, à medida que reduz custos em meio à queda da demanda em seu setor. A terceira maior provedora de serviços de telefonia móvel dos EUA disse hoje que pretende reduzir seus custos trabalhistas em US$ 1,2 bilhão por ano com a decisão, que espera concluir em 31 de março.

Os cortes de empregos incluem 850 posições que deverão ser eliminadas por per meio de um plano de desligamento voluntário iniciado no final do ano passado.

A Sprint não está sozinha em seu setor. Sua concorrente AT&T disse em dezembro que pretendia eliminar 12 mil posições, 4% de seu quadro total. A Sprint espera registrar um encargo de mais de US$ 300 milhões no primeiro trimestre por causa dos cortes.

Neste mês, seu executivo-chefe, Dan Hesse, já havia dito que a companhia poderia fechar até 20 call centers de vendas este ano.

O grupo tem estudado formas de compensar o rápido declínio de seu número de assinantes nos últimos anos. Hesse assegurou aos investidores no último trimestre que a queda do número de assinantes havia se estabilizado, mas uma perda de mais de um milhão de clientes pode ter ocorrido no quarto trimestre.

A Sprint afirmou que amortizou US$ 2 bilhões em dívidas no segundo semestre do ano passado, também como parte de seu plano de cortar custos. O grupo deve anunciar balanço trimestral em 19 de fevereiro. Suas ações caíam 0,4% no pré-mercado em Nova York. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.