SÃO PAULO - A gigante do setor de eletrônicos Sony revisou suas projeções para o ano fiscal a se encerrar em março e agora espera um prejuízo operacional de 260 bilhões de ienes (US$ 2,9 bilhões). O prejuízo líquido deve ser de 150 bilhões de ienes (US$ 1,7 bilhão), a primeira perda em 14 anos.

Em outubro passado, quando a empresa fez as projeções anteriores, previa ter lucro líquido no mesmo valor.

Segundo a empresa, essa piora nas projeções se deve principalmente aos efeitos da desaceleração econômica mundial sobre os negócios, à valorização do iene, ao impacto da queda do mercado acionário japonês e a um aumento nas despesas com reestruturação. A queda de vendas deverá afetar não só a unidade de eletrônicos, mas também as de videogames, de estúdios de cinema e de gravadora musical.

Os números preliminares do trimestre outubro-dezembro de 2008 mostram um lucro líquido de 10 bilhões de ienes, bem abaixo dos 200,2 bilhões de ienes verificados em igual período de 2007. As receitas tiveram queda de 25% nessa comparação, para 2,15 trilhões de ienes. Os resultados finais consolidados serão divulgados em 29 de janeiro.

Em dezembro, a companhia japonesa anunciou que planeja demitir 8 mil funcionários, como parte de um plano para economizar mais de 100 bilhões de ienes (US$ 1,1 bilhões) até março de 2010. Cerca de 10% das 57 plantas da Sony serão fechadas, incluindo duas unidades fora do Japão, e foram adiados os planos de ampliar um local na Eslováquia onde são fabricados TVs de LCD para o mercado europeu. A companhia irá ainda reduzir seus gastos em semicondutores e irá terceirizar parte da produção para sensores de imagem para telefones móveis.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.