BRASILIA - Com expansão acentuada em praticamente todos os setores, a atividade industrial em todo o país registrou recorde mensal de produção em março, com 62,9 pontos (série iniciada em janeiro deste ano). Os estoques ficaram estáveis no primeiro trimestre do ano, mas a contratação de empregados alcançou 55,5 pontos, o patamar mais elevado desde o recorde do terceiro trimestre de 2004 (56,3). Esse aumento do emprego na indústria reflete, claramente, a recuperação pós-crise mundial, uma vez que no primeiro trimestre de 2009, em plena crise, o indicador tinha caído a 39,2 pontos, o menor da série. A sondagem Industrial faz uma média das respostas de dirigentes de 1.227 empresas espalhadas por todo o país, entre grandes, médias e pequenas, concluindo que o resultado acima de 50 pontos é positivo, e abaixo disso é negativo.

BRASILIA - Com expansão acentuada em praticamente todos os setores, a atividade industrial em todo o país registrou recorde mensal de produção em março, com 62,9 pontos (série iniciada em janeiro deste ano). Os estoques ficaram estáveis no primeiro trimestre do ano, mas a contratação de empregados alcançou 55,5 pontos, o patamar mais elevado desde o recorde do terceiro trimestre de 2004 (56,3). Esse aumento do emprego na indústria reflete, claramente, a recuperação pós-crise mundial, uma vez que no primeiro trimestre de 2009, em plena crise, o indicador tinha caído a 39,2 pontos, o menor da série. A sondagem Industrial faz uma média das respostas de dirigentes de 1.227 empresas espalhadas por todo o país, entre grandes, médias e pequenas, concluindo que o resultado acima de 50 pontos é positivo, e abaixo disso é negativo. No caso da produção, indicador com metodologia de apuração mensal iniciada este ano, apenas o setor de madeira apontou resultado negativo, em 46,9 pontos. Borracha (71,3 pontos) e farmacêuticos (70,2) foram os destaques em março. No primeiro trimestre de 2010, a CNI apurou que a utilização da capacidade instalada atingiu 74% (medida em faixas percentuais), queda de 3 pontos percentuais sobre os 77% no quarto trimestre de 2009. Mas superior aos 68% de igual intervalo de 2009. A CNI alertou para a possibilidade do Banco Central (BC) elevar hoje o juro básico da economia (taxa Selic), o que poderá contrair investimentos e atrair um volume maior de investimentos externos, reduzindo ainda mais a cotação do real frente ao dólar americano. (Azelma Rodrigues | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.