Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Socorro à economia do Japão já soma US$ 273 bi

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, anunciou ontem que vai injetar cerca de 5 trilhões de ienes (o equivalente a US$ 51 bilhões) para revitalizar a economia do país. O socorro virá em forma de fundos para famílias, empresas e governos locais.

Agência Estado |

Esse dinheiro é a mais recente contribuição a um conjunto de medidas fiscais do governo japonês que alcançam os 26,9 trilhões de ienes (US$ 273,429 bilhões) e tentarão amenizar "a tempestade financeira" que, segundo Aso, vai atingir o Japão.

Durante a parte das perguntas, no ato de apresentação das medidas de estímulo econômico, Aso voltou a insistir em que, por enquanto, não convocará eleições, já que a prioridade é enfrentar a crise econômica. O pacote inclui muitas e diversas medidas econômicas, entre elas uma parte de 2 trilhões de ienes (US$ 20,33 bilhões) para as famílias.

O economista-chefe da empresa financeira Nomura Securities, Takahide Kiuchi, disse à agência Kyodo que as medidas apresentadas farão o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão aumentar entre 0,4% e 0,5%. No entanto, segundo o economista, a crise começou no exterior e será impossível combatê-la apenas com medidas fiscais tomadas pelo país.

Aso anunciou também medidas orientadas à oferta nos três próximos anos, além de uma reforma do sistema tributário para garantir a arrecadação. Entre as medidas anunciadas, ele destacou a intenção do governo de aumentar o imposto sobre o consumo dentro de três anos.

Críticos do governo indicaram que as medidas apresentadas pelo partido da situação, o Partido Liberal Democrático (PLD), tentam seduzir os eleitores diante das próximas eleições gerais.

O Comitê de Política Monetária do Banco do Japão (BoJ) iniciaria sua reunião de hoje mais cedo do que normalmente, às 8h30 (21h30 de ontem, no horário de Brasília), informou a agência Kyodo News. O objetivo seria dar mais tempo aos integrantes do comitê para que discutam o informe semestral sobre perspectivas econômicas e inflação, disse a agência.

Fontes citadas pela Kyodo disseram que o banco central japonês está próximo da decisão de reduzir a taxa básica de juros de 0,5% para 0,25%, para estimular a economia e evitar que o iene se valorize mais em ralação ao dólar e a outras moedas. A taxa básica do BoJ está inalterada há 20 meses.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG