O assistente do corretor francês Jérôme Kerviel, suspeito de falsificações que podem ter custado cerca de 5 bilhões de euros ao banco Société Générale, foi indiciado por cumplicidade na introdução fraudulenta de dados no sistema informatizado da instituição, anunciou nesta segunda-feira uma fonte judiciária.

Acusado sexta-feira, Thomas Mougard, 24 anos, não foi colocado sob controle judiciário.

Ele teria ajudado conscientemente Jérôme Kerviel a realizar operações fraudulentas nos mercados através do sistema do banco em 2007 e janeiro de 2008, segundo a informação.

A promotoria havia solicitado o indiciamento em 2 de julho.

Num relatório interno publicado em 23 de maio, o Société Générale notou "sinais de cumplicidade interna" da parte deste assistente de corretor.

"Ele realizou várias operações ilegais para Jérôme Kerviel", afirmou o banco em seu relatório, destacando que no total cerca de 15% das transações fictícias registradas por Jérôme Kerviel foram realizadas por seu assistente.

Até aqui, Jérôme Kerviel era a única pessoa investigada no caso. Ele é perseguido desde 28 de janeiro por "abuso de confiança", "falsificação e uso de documentos falsos" além de "introdução fraudulenta de dados num sistema de informática".

mra/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.