Tamanho do texto

Miami, 16 abr (EFE).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) expressou hoje sua satisfação com a aprovação pela Câmara dos Deputados de um projeto de lei que garante aos cidadãos o direito à informação.

Miami, 16 abr (EFE).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) expressou hoje sua satisfação com a aprovação pela Câmara dos Deputados de um projeto de lei que garante aos cidadãos o direito à informação. A proposta de lei, aprovada pela Câmara na terça-feira passada, deverá agora ir a debate no Senado, informou em comunicado a SIP, com sede em Miami. O presidente da SIP, Alejandro J. Aguirre, expressou sua confiança em que a proposta se transforme em breve em lei e, assim, "permitir aos brasileiros ter acesso ao direito à informação para tomar decisões bem informadas". "Este projeto, que envolve os três poderes do Governo, requer transparência em todos os níveis governamentais: municipal, estatal e nacional, um feito com que estabelece um precedente a seguir para outros países", acrescentou Aguirre, subdiretor do "Diario de las Américas", de Miami. O projeto de lei representa um compromisso derivado de um "debate que se prolongou durante um ano entre legisladores, organizações profissionais e não governamentais e a sociedade civil", explicou a SIP. Além disso, a SIP louvou à Associação Nacional de Diários do Brasil (ANJ) e a seu presidente, Judith Britto, da "Folha de S.Paulo", por seus esforços para fazer deste projeto de lei uma realidade. Ricardo Pedreira, diretor-executivo da ANJ, declarou que a Câmara dos Deputados "deve ser felicitada pela aprovação da lei", a qual espera-se que em breve "seja ratificada pelo Senado e promulgada pelo Presidente da República". Os Governos, prosseguiu Pereira, "têm como responsabilidade com seus cidadãos a obrigação de fornecer informação de interesse público com transparência". Nesse sentido, destacou que uma sociedade "só pode ser verdadeiramente democrática quando seus cidadãos têm livre acesso à informação relevante para eles." EFE emi/ma
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.