Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sinergias entre BB e Nossa Caixa podem chegar a R$ 4 bilhões

SÃO PAULO - A incorporação da Nossa Caixa deverá gerar sinergias entre R$ 2 bilhões e R$ 4 bilhões para o Banco do Brasil (BB). O montante deverá surgir em um prazo de até cinco anos, segundo informou, hoje, o vice-presidente de Relações com Investidores do Banco do Brasil, Aldo Luiz Mendes.

Valor Online |

De toda a sinergia a ser gerada, explicou o executivo, cerca de dois terços devem surgir por aumento efetivo de receita, ficando o um terço restante por conta de produtividade e redução de custos operacionais.

A grande aposta do BB no campo das receitas é o espaço que a instituição terá para aumentar a oferta de crédito quando comparada aos bancos concorrentes.

Juntas, as carteiras de crédito de BB e Nossa Caixa, de R$ 213,7 bilhões, representam, hoje, 1,35 vez o total de seus depósitos de baixo custo, como são classificados, poupança, depósitos judiciais e depósitos à vista. No Itaú Unibanco, por exemplo, essa relação é de 3,72 vezes. No Bradesco é de 2,54 vezes e, no Santander, de 4 vezes.

Quanto menor essa proporção maior a capacidade do banco expandir sua carteira de crédito, visto que os depósitos de baixo custo elevam a rentabilidade dos empréstimos. "Os concorrentes já esgotaram essas fontes de depósito. Nós temos condições de assegurar mais crédito e mais barato, pois se eles (concorrentes) quiserem emprestar mais terão que gastar mais nas captações", explicou o presidente do BB, Antônio Francisco de Lima Neto.

Ele lembrou que, no caso específico da Nossa Caixa, a relação entre carteira de crédito e depósitos de baixo custo é de apenas 0,58 vez, o que dá muito espaço para expansão.

Justamente por esse motivo, o presidente disse não ter considerado alto demais o valor da aquisição, que ficou em 2,3 vezes o patrimônio líquido da Nossa Caixa. "Justifica pelas sinergias e pelo espaço para crescimento", disse Lima Neto.

Questionado se as sinergias de custos podem passar por demissões de funcionários, o executivo disse que a sobreposição de agências entre as duas instituições é muito pequena, o que torna "pouco estressante" a questão do fechamento de pontos de atendimento e conseqüente corte de funcionários. Mesmo assim, ele não garantiu que não haverá demissões.

A incorporação da Nossa Caixa irá gerar, ainda, um crédito fiscal da ordem de R$ 1,8 bilhão, que será amortizado durante o prazo de cinco anos. Trazido a valor presente, o benefício ficaria na casa de R$ 1 bilhão.

O BB fechou a compra do controle da Nossa Caixa por R$ 5,386 bilhões. O valor a ser pago por ação será de R$ 70,63, o que equivale a um prêmio de 37,68% sobre o valor de fechamento da ação do banco estadual ontem. O montante será pago em 18 parcelas mensais de R$ 299 milhões corrigidas pela Selic, sendo que o primeiro pagamento deve ocorrer em março de 2009.

O valor desembolsado dará ao BB uma participação de 71,25% no capital social total da Nossa Caixa, com um total de 76.262.912 ações ordinárias.

Para comprar as ações restantes dos minoritários, o Banco do Brasil deverá desembolsar ainda um adicional de R$ 2,173 bilhões. Somando as duas parcelas, a Nossa Caixa está sendo avaliada por R$ 7,559 bilhões.

O comunicado do BB destaca que a compra ainda terá que ser aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo até o dia 10 de março de 2009, além de outros órgãos.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG