(Atualiza com nova data indicada pelos sindicatos) Atenas, 12 mai (EFE).- Os sindicatos majoritários gregos convocaram hoje uma nova greve geral de 24 horas para na próxima quinta-feira, 20 de maio, contra da reforma governamental do sistema de pensões.

(Atualiza com nova data indicada pelos sindicatos) Atenas, 12 mai (EFE).- Os sindicatos majoritários gregos convocaram hoje uma nova greve geral de 24 horas para na próxima quinta-feira, 20 de maio, contra da reforma governamental do sistema de pensões. "Nossa reação é imediata, respondendo com uma greve geral de 24 horas", declarou à imprensa o presidente da União de Empregados Civis (Adedy), Spiros Papaspiros, após uma reunião com a Confederação Geral dos Trabalhadores da Grécia (Gsee). O sindicalista assinalou que as drásticas medidas de economia do Governo vão "contra os trabalhadores e contra a seguridade social". Em comunicado, o Gsee destaca que os cortes nas aposentadorias e nos pagamentos extras, se soma a um projeto de lei que aumenta a pobreza, por isso que a situação dos aposentados "será mais difícil do que nunca". A greve da próxima semana será a quinta geral neste ano, e durante o último protesto aconteceu uma manifestação em massa que culminou com a morte de três pessoas, inúmeros feridos e danos materiais. As interrupções afetaram principalmente ao setor do transporte. O Fundo Monetário Internacional (FMI) e os membros da Grécia no Eurogrupo exigem severas medidas de economia para fazer efetiva a ajuda estipulada mediante empréstimos a fim de evitar a quebra do país. A ajuda externa é a única alternativa para que Grécia possa pagar sua dívida soberana, de mais de 270 bilhões de euros e o 115% do Produto Interno Bruto (PIB). As impopulares medidas anunciadas pelo Governo, do socialista Giorgos Papandreou, têm o objetivo de cortar o gasto público em 30 bilhões de euros até 2012. O FMI entregou hoje à Grécia 5,574,8 bilhões de euros, na qual é a primeira contribuição efetiva do plano dessa ajuda internacional por três anos, que totaliza 110 bilhões de euros. A greve da próxima quarta-feira coincide com a data de vencimento da dívida de 9 bilhões de euros. EFE afb/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.