Roma, 25 nov (EFE).- Os cinco sindicatos de pilotos, auxiliares de vôo e pessoal de terra da Alitalia que são contra a oferta apresentada pelo consórcio de empresários para a compra da companhia aérea adiaram a greve de 24 horas prevista para hoje, informaram fontes sindicais.

Os cinco sindicatos, conhecidos como "frente do não" por causa de sua oposição à oferta da Companhia Aérea Italiana (CAI) - a nova Alitalia -, anunciaram na segunda-feira à noite o adiamento da greve, mas não indicaram a nova data do protesto.

Em carta, os representantes sindicais atribuíram sua decisão ao objetivo de "impedir sucessivas ações de instrumentalização, depredação e humilhação dos trabalhadores".

Na sexta-feira passada, o ministro dos Transportes italiano, Altero Matteoli, ordenou o adiamento do protesto, mas, em sua carta, os sindicatos afirmaram que não compartilham "as motivações e colocam em xeque a legitimidade" deste pedido.

Por este motivo, especificaram que se "reservam o direito de agir para tutelar o direito, garantido pela Constituição, à greve".

Além disso, a Alitalia reduzirá seus vôos nacionais e internacionais a partir de amanhã e durante as próximas duas semanas, anunciou ontem a companhia aérea.

A companhia tomou esta decisão com o objetivo de evitar os problemas em suas operações e nos aeroportos, assim como para reduzir ao máximo os transtornos aos clientes. EFE ebp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.