Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sindicato repudia demissões na Citrosuco e pede ação do governo

Ribeirão Preto, SP, 09 - O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Bebedouro (SP) divulgou hoje comunicado no qual repudia as demissões ocorridas na unidade da Citrosuco na cidade paulista. Os cortes ocorreram após o encerramento da produção de suco de laranja na fábrica e a manutenção apenas da estrutura para a estocagem da bebida.

Agência Estado |

O comunicado, assinado pelo presidente da entidade, José Antonio Janotta, informou que irá pedir a interferência do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, junto ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, "para que o mesmo tome medidas em benefício do setor da citricultura".

Segundo o documento, o Grupo Fischer, controlador da empresa, agiu com "desrespeito" com o sindicato e "principalmente com os trabalhadores da referida empresa, dispensando os mesmos com uma fria carta recebida em sua residência, trazendo um grande transtorno e desconforto para seus familiares", informa.

Desde sábado, 208 empregados segundo o sindicato, foram demitidos e um total de 1 mil entre diretos e indiretos, contratados para a safra, deverão perder os emprego.

Queda na Demanda

A Citrosuco confirmou oficialmente que não irá processar laranja e produzir suco em sua unidade de Bebedouro (SP) na safra 2009/2010 e culpou a queda na demanda internacional da bebida para a decisão. "A decisão da Citrosuco de racionalizar seus processos de produção, mediante o melhor aproveitamento de seus ativos industriais, visa o ganho de eficiência numa conjuntura de estagnação da demanda internacional de suco de laranja", informou a companhia em comunicado oficial, no qual confirma ainda a demissão de 208 funcionários.

Segundo a Citrosuco, enquanto a produção estiver parada, a empresa concentrará o processamento de suco nas unidades paulistas de Matão e de Limeira, "que estão preparadas para manter os mesmos níveis de produção total da empresa, sem que haja qualquer redução nos volumes comercializados por ela". Mesmo sem produção, a fábrica de Bebedouro, adquirida em 2004 junto à Cargill, receberá a laranja adquirida dos produtores da região, a ser processada nas outras duas fábricas.

Além disso, de acordo com a empresa, a planta industrial também continuará a armazenar e a movimentar sucos produzidos pela Citrosuco e será mantida em condições de retomar suas operações de produção a qualquer momento que se tornar necessário. Sem informar números, a companhia divulgou que parte do atual quadro de pessoal da unidade de Bebedouro permanecerá trabalhando nessas atividades, enquanto alguns funcionários serão transferidos para outras plantas da empresa.

"A Citrosuco se empenha na manutenção do maior número possível de empregos. Lamentavelmente, contudo, a suspensão das operações de processamento de suco deverá implicar na dispensa de 208 funcionários da planta de Bebedouro, aos quais a empresa está oferecendo um pacote diferenciado de indenização e de benefícios", informou o comunicado, sem divulgar detalhes do pacote.

Indenização

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Bebedouro, os demitidos receberão uma indenização de 20% sobre o salário nominal para cada ano trabalhado até o quinto ano e, a partir do sexto ano, mais 33%. Os planos de saúde seguem até 31 de julho.

"Comprometida com o desenvolvimento da citricultura brasileira e com o dinamismo socioeconômico da região de Bebedouro e do Estado de São Paulo, a Citrosuco confia plenamente no revigoramento das taxas de crescimento do consumo mundial de suco de laranja e continua a investir no aprimoramento de processos organizacionais e tecnológicos", informa a companhia.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG