Washington, 15 nov (EFE).- Os empregados do setor automobilístico não são culpados pelos problemas nem farão mais concessões, embora os Três Grandes de Detroit precisem de ajuda, afirmou hoje o presidente do Sindicato de Trabalhadores da Indústria Automotiva (UAW, na sigla em inglês), Ron Gettelfinger.

Durante uma inusitada entrevista por telefone hoje, Gettelfinger pediu ao Congresso dos Estados Unidos para aprovar o mais rápido possível um plano de resgate da indústria automotiva, preferivelmente antes da entrada do novo Governo.

"O enfoque tem que ser a economia inteira, em vez de apenas o contrato da UAW", disse Gettelfinger.

Considerou injusto que se peça aos trabalhadores para fazerem maiores sacrifícios diante da crise atual porque, segundo sua opinião, foram feitas "mudanças drásticas", no marco das negociações dos contratos coletivos pactuados no ano passado com as empresas.

No entanto, enfatizou que General Motors (GM), Ford e Chrysler, os Três Grandes de Detroit, são parte-chave da economia americana e precisam de uma ajuda.

Segundo Gettelfinger, os problemas do setor se devem a uma gama de fatores como a crise imobiliária, as restrições de crédito e a perda em massa de empregos em geral.

Ele afirmou que o setor está "no precipício" e expressou sua preocupação com a eventual quebra de um dos três fabricantes de automóveis que poderia prejudicar o resto, aprofundando a crise. EFE mp/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.