Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sindag reduz previsão de crescimento do setor de defensivos para 13%

São Paulo, 29 - O presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola (Sindag), Laercio Valentin Giampani, reviu o crescimento do setor de defensivos agrícolas para 12% até 13%, no máximo, até o fim do ano, por causa do impacto da crise econômica mundial no setor. Conforme o mais recente relatório do Sindag, no acumulado do ano até setembro, ou seja, logo antes do estouro da crise financeira internacional, os números do setor eram mais robustos, revelando crescimento, no período, de 35% no faturamento, para R$ 8,48 bilhões, em comparação com R$ 6,29 bilhões entre janeiro de setembro do ano passado.

Agência Estado |

"Entendemos que os negócios passarão a ter outro ritmo", disse Giampani, hoje à tarde, em São Paulo, momentos antes do lançamento da tecnologia Plene, da Syngenta, específica para a cana-de-açúcar. Giampani também é diretor-geral da empresa no Brasil. "Com a crise, o agricultor passa a trabalhar num cenário de incertezas, e está revendo suas decisões de plantio para a safra 2008/2009", declarou.

Ainda conforme Giampani, a taxa de inadimplência no setor de defensivos não está alta. "A partir de agora, porém, com a deflagração da crise a inadimplência pode começar a subir, principalmente por causa da baixa nos preços internacionais das commodities e da maior restrição de crédito ao produtor rural."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG