Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Shell fecha quarto trimestre com prejuízo líquido de US$ 2,81 bi

SÃO PAULO - De outubro a dezembro de 2008, a petrolífera anglo-holandesa Royal Dutch Shell teve seu primeiro prejuízo trimestral em dez anos. A perda líquida foi de US$ 2,81 bilhões, provocada pelo efeito da queda dos preços do petróleo sobre as receitas e sobre os estoques.

Valor Online |

No mesmo intervalo de 2007, a companhia tinha lucrado US$ 8,47 bilhões numa base líquida.

O efeito da derrocada das cotações é duplo porque também desvaloriza o petróleo em estoque, além de diminuir o retorno das vendas. A produção de óleo e gás ficou praticamente estável no trimestre, comparativamente a 2007, em 3,4 milhões de barris de óleo equivalente por dia. A cotação média do trimestre, porém, caiu 30% em termos globais no mesmo confronto, para US$ 57,60. Com isso, e com os efeitos da desaceleração econômica mundial, a receita da Shell caiu 24%, para US$ 81,07 bilhões.

Excluídas as variações nos preços dos estoques da companhia, a empresa teve lucro a custo corrente, de US$ 4,8 bilhões, montante 28% menor do que o de mesmo intervalo de 2007.

O descarte dos valores relativos à variação dos estoques é um critério utilizado pelos analistas de mercado para comparar os resultados da empresa com o de suas congêneres americanas.

Apesar da crise econômica, a Shell pretende investir entre US$ 31 bilhões e US$ 32 bilhões em 2009, faixa similar à de 2008. Elevou o dividendo relativo ao quarto trimestre de 2008 em 11%, para US$ 0,40 por ação e deve pagar US$ 0,42 por ação no primeiro trimestre de 2009.

"Tivemos uma performance satisfatória no quarto trimestre de 2008, dada a pressão sobre a demanda de óleo e gás devido ao enfraquecimento da economia global. Nossa estratégia permanece a de pagar dividendos competitivos e progressivos e fazer investimentos significativos na companhia, para futura lucratividade", comentou o diretor-executivo, Jeroen van der Veer. "As condições da indústria continuam desafiadoras e continuamos a focar na disciplina de capital e de custos na Shell."

Leia tudo sobre: lucros

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG