Os produtos nanotecnológicos devem movimentar US$ 3,1 trilhões em 2015, segundo a consultoria Lux Research. No ano passado, foram US$ 147 bilhões.

Atualmente, o setor que mais usa a nanotecnologia é o de manufatura e materiais, com receitas de US$ 97 milhões em 2007, seguido dos eletrônicos, com US$ 35 bilhões.

Os EUA lideram o segmento, tendo fabricado US$ 59 bilhões em produtos nanotecnológicos no ano passado. A Europa ficou em segundo lugar, com US$ 47 bilhões, e a região Ásia-Pacífico em terceiro, com US$ 31 bilhões. O investimento em pesquisa e desenvolvimento em nanotecnologia somou US$ 13,5 bilhões em 2007, crescimento de 14% frente a 2006.

O Brasil ocupa posição bem modesta nesse cenário - não aparece no ranking dos 35 países que mais investem em nanotecnologia. Nos últimos quatro anos, o governo federal investiu cerca de R$ 150 milhões nesse setor, segundo algumas estimativas. "A LG, sozinha, investe US$ 2,6 bilhões em nanotecnologia", diz Ronaldo Marchese, diretor da Nanotec. Mas, apesar do baixo interesse do setor privado, há cerca de 600 projetos de nanotecnologia nas universidades brasileiras. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.