Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os principais índices de Wall Street encerraram a semana em queda, com o setor financeiro no foco dos investidores. O escândalo do Goldman Sachs, que foi acusado de fraude pela comissão de valores mobiliários dos EUA, aprofundou o recuo do mercado acionário.

SÃO PAULO - Os principais índices de Wall Street encerraram a semana em queda, com o setor financeiro no foco dos investidores. O escândalo do Goldman Sachs, que foi acusado de fraude pela comissão de valores mobiliários dos EUA, aprofundou o recuo do mercado acionário. O índice Dow Jones fechou em queda de 1,13%, aos 11.019 pontos. O Nasdaq perdeu 1,37%, aos 2.481 pontos. O S & P-500, por sua vez, recuou 1,61%, aos 1.192 pontos. O início da sessão já marcava o desapontamento dos agentes com os resultados do Google, divulgados na noite de ontem. A receita da empresa cresceu 23%, para US$ 6,78 bilhões, mas o aumento das despesas da companhia trouxe preocupações. Os investidores também ficaram preocupados com a ausência do presidente da empresa, Eric Schmidt, na teleconferência de resultados ocorrida ontem. As ações do Google fecharam em queda de 7,6%. O clima piorou quando a Securities and Exchange Commission (SEC, comissão de valores mobiliários dos EUA) acusou o Goldman Sachs de fraude na venda de derivativos atrelados a contratos de hipotecas de alto risco (os chamados subprime). Em resposta, o banco classificou como infundada a acusação e afirmou em nota que o grupo vai"contestar vigorosamente"as acusações. Sob os efeitos da notícia, as ações do banco recuaram 12,7% e o pessimismo se refletiu no restante do setor. Os papéis do Citigroup e do Morgan Stanley perderam mais de 5%. Os agentes levaram em consideração ainda os resultados da General Electric (GE), que revelaram uma queda de 32% no lucro líquido atribuível aos detentores de ações ordinárias, na comparação com o mesmo período do ano anterior. A receita da empresa diminuiu quase 5% para US$ 36,605 bilhões e o seu presidente citou o segmento imobiliário comercial ainda como um desafio. Os papéis terminaram o pregão em queda de 2,6%. O Bank of America (BofA) também ficou no radar. A instituição obteve lucro líquido de US$ 3,182 bilhões entre janeiro e março de 2010, seguindo uma perda líquida de US$ 194 milhões nos três últimos meses de 2009. No trimestre inicial do ano passado, porém, a instituição ganhou US$ 4,247 bilhões. Além disso, as provisões para perdas com crédito marcaram US$ 9,805 bilhões, ainda altas. As ações do BofA recuaram 5,5% O mercado conheceu ainda o índice de confiança do consumidor dos EUA, calculado pela Universidade de Michigan, que caiu para 69,5 pontos em meados de abril ante os 73,6 de março. (Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.