SÃO PAULO - As exportações do segmento eletroeletrônico ainda não deram sinais de recuperação no mês de abril, com apenas 25% das empresas do segmento indicando alta nas vendas externas, informa a Sondagem Conjuntural da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). A pesquisa realizada com uma média de 100 empresas associadas à Abinee mostra que o ritmo dos negócios em relação às expectativas do mercado interno caiu para 47% das empresas - em março o porcentual de queda era de 24%. O levantamento também mostra que o número de companhias com redução no quadro de funcionários aumentou de 4% para 11% nos últimos dois meses.

SÃO PAULO - As exportações do segmento eletroeletrônico ainda não deram sinais de recuperação no mês de abril, com apenas 25% das empresas do segmento indicando alta nas vendas externas, informa a Sondagem Conjuntural da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). A pesquisa realizada com uma média de 100 empresas associadas à Abinee mostra que o ritmo dos negócios em relação às expectativas do mercado interno caiu para 47% das empresas - em março o porcentual de queda era de 24%. O levantamento também mostra que o número de companhias com redução no quadro de funcionários aumentou de 4% para 11% nos últimos dois meses. Apesar da queda no ritmo de recuperação do segmento em abril, 60% das empresas prevêem crescimento em maio. Para o ano de 2010, este percentual chega a 84%, com apenas 4% das entrevistadas prevendo retração. No mês de abril, os negócios permaneceram aquecidos tanto nas áreas voltadas à produção de bens de consumo, como de bens de capital e infraestrutura. Nos segmentos de bens de consumo, incluindo computadores pessoais, telefones celulares e utilidades domésticas, estão contando com a retomada da atividade econômica. Especificamente no mês de abril, estes segmentos foram beneficiados pelo Dia das Mães, cujas vendas no comércio só perdem para o período do Natal. Na área de infraestrutura, o setor de telecomunicações ainda deve recebe investimentos em capacidade das redes para transmissão de serviços de 3G bem como em função do lançamento pelo Governo do Plano Nacional da Banda Larga (PNBL). O segmento de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica também é destaque na pesquisa da Abinee pela retomada da área de Distribuição, em função do retorno dos investimentos das concessionárias, decorrentes do aumento do consumo de energia pelo setor industrial e do Programa Luz para Todos. (Daniela Braun | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.