Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Setor de telecom será o último a sentir efeito da crise, crê ministro

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou hoje que a crise financeira internacional não atingiu o setor de telecomunicações brasileiro. Até pelo fato de que, quanto maior a crise, mais a gente fala ao telefone, mais a gente quer ouvir notícias, mais a gente fica agarrado na televisão, disse.

Valor Online |

Para Hélio Costa, o setor será o último a sentir os impactos da crise.

"Todas as empresas estão investindo e multiplicando seus esforços. Mas, como a crise é internacional, tem alguns reflexos no Brasil. O primeiro foi o aumento do dólar, que dificulta um pouco o custo dos aparelhos, que são importados. Mas estamos exportando transmissores da TV digital para os Estados Unidos", disse, ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom dia, Ministro, no estúdio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em Brasília.

O ministro destacou ainda que o Brasil está "muito preparado" para enfrentar a crise e que o setor de telecomunicações está "muito bem" uma vez que exporta a maioria dos equipamentos em vez de importá-los.

" Já se passaram dois anos do momento em que assinamos o decreto. O tempo [de dez anos, no total, para a implantação da TV digital] é suficiente. O processo digital veio para ficar, já está definido nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia e estamos definindo no Brasil e na América do Sul. Vamos levar nosso projeto para a Argentina e o Chile e estamos trabalhando com o Peru e com a Venezuela."
Hélio Costa reforçou que a TV digital vai chegar a toda a população brasileira no prazo, até porque a previsão é que em 2016 o sistema analógico seja desligado, como deve ocorrer nos Estados Unidos no ano que vem e na Europa em 2010. "Se não fizermos o mesmo, vamos ficar atrasados. Estamos em plena convergência mundial", afirmou.

(Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG