Tamanho do texto

A atividade no setor de manufatura da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) cresceu em abril ao maior nível desde junho de 2006. O resultado foi influenciado pela maior expansão em quase uma década da produção industrial, segundo a pesquisa dos gerentes de compras divulgada hoje.

A atividade no setor de manufatura da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) cresceu em abril ao maior nível desde junho de 2006. O resultado foi influenciado pela maior expansão em quase uma década da produção industrial, segundo a pesquisa dos gerentes de compras divulgada hoje.

A consultoria Markit Economics informou que o índice dos gerentes de compras para o setor de manufatura subiu para 57,6 em abril, ante 56,6 em março, ficando acima da estimativa preliminar divulgada no mês passado, de 57,5. Economistas esperavam que o índice ficasse inalterado em relação à estimativa preliminar. O índice permanece acima de 50 pelo sétimo mês seguido, o que sinaliza melhora da atividade.

Já o subíndice para a produção industrial atual atingiu seu nível mais elevado desde junho de 2000. Há indicações de que a elevação da produção deve continuar, acompanhada pelo aumento das novas encomendas, incluindo para exportação. "O dado final de abril mostra que o crescimento da produção na manufatura está se aproximando de dois dígitos, com a expansão orientada por exportação atingindo ritmo recorde na Alemanha e para uma contínua recuperação em muitos outros países", disse o economista-chefe da Markit, Chris Williamson.

A produção atingiu taxa recorde de crescimento na Alemanha e na ¿?ustria, mas também expandiu-se na Espanha e na Irlanda, dois dos países mais prejudicados pela crise financeira e pela recessão. Na Alemanha, o índice dos gerentes de compras subiu para 61,5 em abril, de 60,2 em março, o patamar mais elevado desde que a série foi iniciada, em 1996. O recorde anterior havia sido registrado em abril de 2000.

Na Grécia, o índice dos gerentes de compras subiu para 43,6 em abril, de 42,9 em março, ainda abaixo de 50, sugerindo contração da atividade econômica. O índice dos gerentes de compras da França subiu para 56,6 em abril (56,5 em março), o nível mais elevado desde julho de 2006, enquanto o indicador da Itália avançou para 54,3 em abril (53,7 em março), o patamar mais elevado desde maio de 2007. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.