Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Setor de chips perderá US$ 25 bi em receita em 2009 por causa da crise

SÃO PAULO - O mercado mundial de semicondutores irá deixar de ganhar US$ 25 bilhões em faturamento no ano que vem por causa dos efeitos da atual crise financeira global. A queda na demanda irá levar a uma expansão de apenas 1% nas vendas desse segmento em 2009, ante uma previsão anterior de crescimento de 7,8% feita pela consultoria Gartner.

Valor Online |

No terceiro trimestre deste ano, a expectativa da consultoria era de que o mercado global de chips obtivesse um aumento de 7,8% em 2009, chegando a receita total de US$ 307,7 bilhões. Com a crise, agora o Gartner acredita que essa indústria irá vender apenas US$ 282 bilhões no ano que vem, apenas 1% mais que o faturamento previsto para este ano.

"O crescimento dos semicondutores foi surpreendentemente alto até recentemente, dado o ambiente econômico bastante fraco, mas isso deve começar a mudar no quarto trimestre de 2008", disse o vice-presidente de Pesquisa do Gartner, Bryan Lewis. "Cada vez mais evidências sugerem que a indústria de semicondutores começará a ter crescimento negativo já no quarto trimestre de 2008, e isso deve continuar por grande parte de 2009", acrescentou.

Segundo a consultoria, embora a maioria das fabricantes de chips tenham atingido suas metas para o terceiro trimestre deste ano (com uma expansão média de 5% em relação aos três meses anteriores), a expectativa para o quarto trimestre continua a cair. No fechado do ano, a indústria deve acumular faturamento de US$ 279,4 bilhões, uma expansão de 2% em relação ao ano passado.

De acordo com o Gartner, a reavaliação das expectativas para 2009 foi feita com base em tendências apresentadas em mercados chave. Correspondendo a cerca de um terço do mercado total de chips, os segmentos de computadores e celulares tiveram muita relevância para o corte nas expectativas. Segundo o Gartner, isso ocorreu porque, para o mercado de PCs, a projeção de vendas de unidades no ano que vem foi reduzida em 8%. Isso corresponde, portanto, a 1,61 ponto percentual a menos de expansão no segmento de chips.

"Em uma recessão é importante lembrar que não deve haver apenas uma redução em potencial no número de sistemas vendidos, mas também uma mudança do consumo para sistemas mais baratos, com menos chips integrados", afirmou Lewis.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG