SÃO PAULO - As instituições financeiras de capital aberto registram lucro líquido de R$ 16,579 bilhões durante os seis primeiros meses do ano, um crescimento de 13,1% sobre os R$ 14,656 bilhões obtidos em igual período do ano passado (todos os números são nominais, ou seja, não foram atualizados pela inflação).

Segundo a consultoria Economatica, esse ganho faz do setor bancário o mais lucrativo entre as empresas brasileiras de capital aberto durante os seis primeiros meses do ano.

Ainda de acordo com a consultoria, os R$ 16,579 bilhões obtidos pelas 25 instituições acompanhadas representam 23,9% do lucro total das empresas analisadas no primeiro semestre de 2008.

Na segunda colocação em termos de lucratividade está o setor de óleo e gás, representado majoritariamente pela Petrobras, com lucro total de R$ 15,809 bilhões, expressivo avanço de 41,3% sobre os R$ 11,19 bilhões embolsados nos seis primeiros meses de 2007. As seis empresas do setor ganharam 22,8% de tudo que foi lucrado durante o semestre.

Com 37 representantes, o setor elétrico aparece em terceiro lugar, tomando a posição do setor de mineração, que agora caiu para a quarta colocação. As empresas elétricas acumularam lucro de R$ 8,765 bilhões em seis meses, aumento de 12% sobre igual período do ano passado.

Já o setor de mineração, no qual a Vale é a grande representante, viu seus lucros caírem de R$ 10,94 bilhões nos seis primeiros meses de 2007 para R$ 6,937 bilhões agora. A redução de 36,6% na lucratividade do setor é a terceira maior entre os 22 segmentos acompanhados.

A quinta colocação é do segmento de siderurgia e metalurgia. Os cinco componentes viram sua lucratividade ampliada em 42,7%, para R$ 6,937 bilhões.

A maior retração de lucro no comparativo semestre contra semestre foi amargada pelo setor de alimentos e bebidas. O ganho líquido dos 18 representantes do segmento caiu em 70,8%, de R$ 2,118 bilhões, para R$ 616,8 milhões. As áreas de transporte (queda de 41%), papel e celulose (-23,8%), seguros (-15%), software (-3% e fundos (-6,4%) também apresentaram queda nos lucros.

No cômputo geral, 317 empresas de capital aberto dividas em 22 setores lucraram R$ 69,287 bilhões de janeiro a junho desse ano, crescimento de 8,96% no comparativo anual.

A Economatica também elencou os maiores ganhos individuais do semestre e concluiu que os 10 maiores lucros somados respondem por 65% do total embolsados por todas as 317 empresas analisadas.

O maior lucro do semestre foi o da Petrobras, que ganhou R$ 15,708 bilhões, alta de 43% no comparativo anual. Mesmo com uma queda de 37% sobre o primeiro semestre de 2007, o segundo lugar é da Vale, que embolsou R$ 6,825 bilhões.

A terceira, quarta e quinta colocações são ocupadas pelos bancos Bradesco (lucro de R$ 4,104 bilhões), Itaú (R$ 4,084 bilhões) e Banco do Brasil (R$ 3,991 bilhões).

As próximas três colocações são das siderúrgicas. O sexto lugar é da Gerdau, que ganhou R$ 2,738 bilhões, segunda pela CSN, com R$ 1,798 bilhão, e Usiminas, com R$ 1,507 bilhão.

O nono lugar é do Unibanco, com lucro de R$ 1,497 bilhão, e a AmBev fecha o ranking, com ganho líquido de R$ 1,145 bilhão.

Para a realização da análise foram utilizadas as informações enviadas pelas empresas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) até a data. Todos os valores de 2007 e 2008 são nominais, sem ajuste pela inflação.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.