Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Setecentos executivos do Merrill Lynch ganharam bônus milionários

O banco de negócios americano Merrill Lynch, absorvido pelo Bank of America em 1 de janeiro, pagou bônus superiores a um milhão de dólares a quase 700 de seus executivos logo antes da fusão, revelou nesta quarta-feira Andrew Cuomo, ministro da Justiça do Estado de Nova York.

AFP |

Em carta aberta enviada ao presidente da comissão de Finanças da Câmara dos Representantes, Cuomo denunciou a concessão "prematura e secreta" de 3,6 bilhões de dólares em bônus em dezembro.

Acusado de ter autorizado estes pagamentos, o ex-presidente do Merrill Lynch, John Thain, afastado mês passado por seu novo patrão, Kenneth Davis, foi convocado pela comissão.

A diretoria do banco, que acumulou 27 bilhões de dólares de perdas em 2008, destacara em 8 de dezembro que Thain e quatro outros dirigentes tinham desistido de receber bônus. Segundo rumores, o ex-presidente se preparava para pedir 10 milhões de dólares.

Cuomo revelou que quatro dirigentes do Merrill Lynch, que não identificou, dividiram entre eles 121 milhões de dólares, acrescentando que 14 pessoas ganharam um bônus de 10 milhões ou mais.

No total, 696 pessoas receberam um bônus de um milhão de dólares ou mais, segundo a justiça de Nova York.

A carta de Cuomo foi divulgada para coincidir com a audiência de oito patrões de grandes bancos na Câmara dos Representantes.

No fim de janeiro, o presidente Barack Obama se insurgiu contra os bônus "vergonhosos" concedidos pelas empresas de Wall Street a seus principais funcionários em 2008, num momento em que os contribuintes americanos pagam do próprio bolso para sustentá-las.

As autoridades do estado de Nova York informaram que as companhias de Wall Street pagaram 18,4 bilhões de dólares de bônus a seus altos funcionários no ano passado.

chr/yw

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG