Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Serviços de SMS vão gerar receitas de US$ 177 bilhões em 2013, afirma ABI Research

SÃO PAULO - As mensagens SMS (mensagens curtas de texto por celular) devem se manter como uma significativa fonte de receitas para as operadoras de celulares nos próximos cinco anos. De acordo com a consultoria ABI Research, em 2013, esse serviço deverá gerar faturamento global de US$ 177 bilhões e representar 83% das receitas das operadoras com mensagens.

Valor Online |

Ainda assim, segundo a consultoria, as diferenças regionais entre os mercados é que vão determinar o grau de expansão do resultado com SMS nas áreas de internet, publicidade, e na sua utilização em redes sociais.

Companhias inovadoras estão explorando oportunidades para elevar o acesso à internet por mensagens em celulares, assim como buscam usá-las para levar conteúdo e publicidade aos consumidores, afirma o analista da ABI Dan Shey. Para serem bem sucedidas com esses serviços mais complexos, as companhias que oferecem esses produtos de mensagens em celular têm de entender a distribuição regional dos consumidores por tipo, preferência de pagamento, método de entrega de mensagens e perfil de uso, acrescenta.

Segundo ele, na América do Norte e na Europa, os consumidores enviam suas mensagens principalmente de computadores para celulares. Na Ásia e Pacífico, por outro lado, os usuários assinam a maioria dos serviços de alerta por SMS e, na América Latina, os consumidores são grandes usuários de SMS pelo celular, mas preferem pagar por cada mensagem enviada.

Segundo Shey, essas diferenças regionais deverão levar as operadoras a reavaliar seus modelos de negócio para o fornecimento de serviços de mensagens.

Fabricantes de aparelhos e fornecedores de plataformas para mensagens que atendem o mercado global terão de gerenciar suas atividades em áreas onde o crescimento é o objetivo - e também em outras onde a diferenciação de produtos é a meta principal, afirma Shey. Esse é um ótimo momento para companhias menores desenvolverem novos produtos e serviços individualmente e em parcerias para atender as necessidades de nicho de uma região ou país, diz o analista.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG