BRASÍLIA (Reuters) - O governador de São Paulo, José Serra, voltou a pedir nesta quarta-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a renovação de concessões de usinas da Companhia Energética de São Paulo (Cesp). Serra reuniu-se com a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para conversar sobre o tema. O governador paulista contou que voltará a tratar do assunto com Lula e Dilma depois que o presidente voltar da China, aonde irá na semana que vem para acompanhar a abertura dos Jogos Olímpicos. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, participará do encontro.

Segundo Serra, o governo poderia renovar as concessões por meio de uma decisão administrativa ou apoiando uma mudança da lei que regulamenta a questão.

A incerteza sobre a renovação das concessões, que expiram em 2015, foi um dos fatores que inviabilizaram o leilão de privatização da Cesp no início do ano.

Em entrevista concedida a jornalistas depois de audiência com o presidente, Serra ressaltou que a medida é essencial para que as ações da empresa se valorizem. Segundo o governador, o mesmo ocorreria com outras companhias do setor que passam pela mesma situação, como Furnas Centrais Elétricas, Companhia Paranaense de Energia (Copel) e Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

'A renovação das concessões vai valorizar todas essas empresas. Neste momento, não está na agenda a questão de privatizar ou não. Está na agenda resolver a concessão por que isso traz uma valorização e um ganho de patrimônio', declarou Serra.

O governador falou com o presidente também sobre o Ferroanel e a necessidade de usar o dinheiro que as novas reservas de petróleo descobertas pela Petrobras renderão ao país para investir em transporte coletivo urbano. O governador é pré-candidato a presidente para as eleições de 2010.

O governador ainda elogiou a chefe da Casa Civil.

'Considero a ministra Dilma uma pessoa preparada. Com ela, tenho tido uma relação muito cordial e administrativamente muito profícua.'

(Reportagem de Fernando Exman; Edição de Fabio Murakawa)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.