Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Serra anuncia para este ano a construção do túnel Santos-Guarujá

SÃO PAULO - As obras de construção do túnel Santos-Guarujá vão começar até o fim do ano. A garantia foi dada anteontem pelo governador José Serra (PSDB), durante a inauguração do Parque Municipal Roberto Mário Santini, na Praia do José Menino, em Santos.

Agência Estado |

De acordo com Serra, o processo de licitação da construção, orçada em cerca de R$ 450 milhões, ocorrerá neste semestre. Ontem, a Assessoria de Imprensa do secretário de Transportes, Mauro Arce, informou que ele confirmava o anúncio, mas não comentaria o assunto.

No evento, Serra reconheceu que as balsas são "um meio precário" de travessia que, nos últimos tempos, sobretudo na temporada, vêm provocando muitas reclamações dos usuários, não só de turistas, mas principalmente dos moradores de Santos e de Guarujá, que chegam a esperar, em determinadas ocasiões, até uma hora nas filas do ferryboat. Serra garantiu, porém, que as balsas não serão desativadas, após a conclusão do túnel. "A ideia é mantê-las como um transporte complementar", disse.

Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Túnel, o deputado estadual Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) comemorou o anúncio. O projeto foi idealizado há mais de 60 anos pelo arquiteto e ex-prefeito de São Paulo Prestes Maia, autor do Plano Regional de Santos, em 1947.

Estudo recente feito pelo Comitê Brasileiro de Túneis (CBT) mostra que a construção é de baixa complexidade e poderá ser paga em 15 anos, mediante concessão à iniciativa privada - o governo abriria mão da arrecadação das tarifas da balsa, hoje administrada pela Dersa. Quando a obra estiver pronta, o tempo de travessia será reduzido de 20 para 1 minuto. O mesmo levantamento aponta uma movimentação de 8 milhões de veículos e 4 milhões de bicicletas por ano entre as cidades.

O presidente do CBT, Tarcísio Celestino, afirmou que este túnel submarino é uma obra rápida, que poderia ser construída em um ano. Em duas audiências públicas do ano passado, o engenheiro mostrou exemplos de diversos túneis construídos em condições mais complexas que as do canal do estuário de Santos.

Nas audiências, foi apresentado o resumo do relatório técnico do túnel, elaborado durante dois meses pelo Instituto Metropolitano de Pesquisas Acadêmicas e Consultoria Técnico-Operacional (Impacto), que reúne as universidades da Baixada Santista. Com 115 páginas, o estudo traz o relato histórico do projeto. Cita os estudos de Prestes Maia. Ele falava da necessidade de haver três ligações terrestres entre as duas ilhas (de Santo Amaro, onde fica o Guarujá, e de São Vicente, onde está Santos).

A proposta atual é que o túnel tenha cerca de mil metros de comprimento (400 submersos e 300 nos acessos de cada lado) com quatro pistas, incluindo ciclovias e a possibilidade de uma área para um Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). A obra seria feita ao lado das balsas, ligando a Ponta da Praia, em Santos, ao bairro Santa Rosa, no Guarujá. Os cálculos já consideram os planos futuros da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) de deixar o canal do Porto de Santos com 17 metros de profundidade.

Leia tudo sobre: josé serra

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG