As vendas do varejo no fim de semana do Dia dos Pais apresentaram um crescimento de 2,5%, em todo o País, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o Indicador Serasa do Nível de Atividade do Comércio, na capital de São Paulo, a alta chegou a 4,6%, na mesma base de comparação.

Este ano, não houve um grande movimento de compras de última hora, destacou o assessor econômico da Serasa Carlos Henrique de Almeida. Para ele, o desempenho das vendas foi razoável, estimulado pelo crescimento do crédito e pelas facilidades de pagamento do varejo, porém, refreado pelo maior endividamento da população. "Vimos que no Dia das Mães o consumidor gastou, no Dia dos Namorados também. Mas, agora, na vez dos pais, quiseram se conter um pouco", avaliou.

Crediário

As consultas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), que refletem o comportamento das vendas no crediário, registraram aumento de 7,2% no período que antecedeu a comemoração do Dia dos Pais (3 a 10 de agosto), ante o mesmo período de 2007 (5 a 12 de agosto). Já em relação às consultas ao SCPC Cheque (antigo UseCheque), que indica o desempenho das vendas à vista, o avanço foi de 5,6%, na mesma base de comparação. Os dois sistemas resultaram no aumento médio de 6,4% em relação ao ano anterior. Os dados são da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Na avaliação do economista da ACSP Emilio Alfieri, os números obtidos apontam que, apesar do Dia dos Pais deste ano ter sido marcado por "presentinhos", a venda de produtos de maior valor no crediário, não necessariamente para o Dia dos Pais, continuaram apresentando bom ritmo de crescimento. Para o economista, os dados também sinalizam que as vendas devem continuar mais aquecidas no crediário do que no cheque.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.