O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio caiu 1,3% em abril, na comparação com março deste ano. Segundo informou hoje a Serasa, o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para veículos afastou os consumidores das lojas especializadas.

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio caiu 1,3% em abril, na comparação com março deste ano. Segundo informou hoje a Serasa, o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para veículos afastou os consumidores das lojas especializadas. O movimento neste segmento recuou 8,9% no mês passado.

Apesar de não anularem o bom desempenho registrado em março, todos os segmentos de varejo pesquisados pela Serasa apresentaram, em abril, variações mensais negativas. Para os economistas da Serasa, a queda do mês passado deve ser vista como um "movimento episódico e não como processo de reversão de tendência". Para eles, a evolução do mercado de trabalho, a presença de condições de crédito atrativas e as promoções do varejo deverão sustentar o movimento do varejo nos próximos meses.

Na comparação com abril de 2009, a alta de 11,1% foi puxada pelo segmento de Veículos, Motos e Peças, que cresceu 19%. Em seguida aparecem os setores de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática (alta de 18,5%) e de Material de Construção (variação de 18,4%). A Serara chama a atenção para o fato de que os três setores receberam isenções fiscais no âmbito do pacote de combate à crise.

No acumulado do primeiro quadrimestre deste ano, a atividade do comércio registra alta de 11% na comparação com o período de janeiro a abril de 2009, puxada pelo segmento de Veículos, Motos e Peças (23,3%) e de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática (19,9%). Nesse critério de comparação, apenas o setor de Combustíveis e Lubrificantes ainda apresenta queda (recuo de 1%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.