Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Senador democrata pede que Fed combata práticas enganosas de bancos

Washington, 4 ago (EFE).- O senador democrata Carl Levin pediu hoje que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) fortaleça ainda mais uma medida proposta para combater as práticas enganosas e depredadoras de bancos que emitem cartões de crédito.

EFE |

Em carta de 13 páginas enviada ao Fed, Levin disse que o setor creditício está repleto de "práticas injustas, enganosas e depredadoras" que prejudicam os consumidores por meio de altas taxas de juros e outros custos.

Levin disse apoiar as restrições promovidas pelo banco central americano desde maio sobre a emissão e administração dos cartões de crédito. Entretanto, considera que estas não são suficientes.

Levin acredita, por exemplo, que o Fed deve limitar a quantidade de juros cobrados pelos bancos sobre a dívida que se paga dentro do prazo, e os encargos sobre outros tipos de transações.

"Ao menos que seja ampliada, a norma proposta (pelo Fed) deixaria intactas algumas das práticas mais injustas em vigor nos cartões de crédito", observou Levin, presidente da Subcomissão Permanente de Investigações do Senado.

Essa subcomissão realiza audiências e investigações desde 2005 sobre as práticas do setor creditício, nas quais foram reveladas tarifas excessivas ou duplicadas, a cobrança de juros por contas já pagas, injusta distribuição dos pagamentos, e um aumento arbitrário nas taxas de juros de até 32%.

Na carta, Levin cita como exemplo a história de Charles McClune, um morador de 51 anos de Michigan que há dez anos tenta liquidar a fatura de um cartão de crédito que ele fechou em 1998.

Devido aos juros e outras cotas superiores a 29%, e apesar de já ter pago uma quantidade quatro vezes maior que sua dívida original de menos de US$ 4 mil, McClune ainda deve US$ 3.300 nesse cartão emitido pelo banco Chase, queixou-se Levin.

"O senhor McClune não fez uma só compra com cartões de crédito desde 1995, mas continua pagando" a dívida, especificou Levin. EFE mp/rb/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG