Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Senador defende aprovação do pacote dos EUA e ressalta estabilidade brasileira

Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI) defendeu nesta terça-feira que os parlamentares norte-americanos aprovem o mais rápido possível o pacote de US$ 700 bilhões de ajuda ao mercado financeiro dos Estados Unidos.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

O plano foi rejeitado na última segunda-feira pela Câmara norte-americana e acarretou uma onda de quedas nas bolsas de valores de todo o mundo. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) caiu 9,36%, a maior queda desde janeiro de 1999.

Nós temos que torcer para que haja não só por parte dos parlamentares americanos, mas também por parte dos governantes europeus, que já começaram a agir nesse sentido, que haja uma ação sincronizada objetivando resolver esse problema o mais rápido possível, afirmou o senador.

Heráclito acredita, entretanto, que, apesar da queda na Bovespa, o Brasil não será afetado diretamente pela crise. O governo está cumprindo o seu papel. Ele tem que tranquilizar, tem que lutar com todas as forças para que não haja nervosismo principalmente na indústria brasileira. Eu acho que até o momento o Brasil está conseguindo passar ao largo, já esteve mais distante e pode estar mais próximo, mas não foi atingido de maneira direta.

O senador observa ainda que a crise no mercado americano é resultado da globalização, mas que pode servir para que países considerados superpotências aprendam que o dinheiro mudou de caminho, mudou de rumo de endereço.

O governo americano sempre se achou poderoso nos que diz respeito ao aspecto econômico e se esqueceu que o mundo mudou. O cofre do mundo mudou de endereço. Há vinte anos se você queria segurança você colocava dinheiro no mercado americano, depois com a unificação da Europa passou a ter União Europeia e passou a ter os EUA. Hoje nãom você tem a China, você tem a Ásia toda, você tem países da África crescendo a dois dígitos e você tem, na América do Sul ,países como o Brasil que já despertam confiança total nos investidores estrangeiros, ressalta.

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: crise econômica

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG