SÃO PAULO - Os aposentados que ganham acima do mínimo poderão ter um reajuste retroativo a janeiro deste ano de 7,71%. A proposta será apresentada pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que terão a palavra final sobre o assunto.

SÃO PAULO - Os aposentados que ganham acima do mínimo poderão ter um reajuste retroativo a janeiro deste ano de 7,71%. A proposta será apresentada pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que terão a palavra final sobre o assunto. O governo tinha oferecido um reajuste de 6,14% aos aposentados por medida provisória, que já está em vigor. O percentual, porém, foi alvo de protestos por parte dos aposentados, o que levou a equipe econômica a negociar mudanças. Na Câmara, a base governista tinha proposto um percentual de 7%. Mas durante reunião hoje entre líderes do Senado, ficou acertado o aumento de 7,71%. Como a proposta terá que passar pelas duas Casas, os parlamentares querem fechar um acordo que assegure o mesmo percentual de reajuste. Desta forma, esperam acelerar a votação no Senado e na Câmara. "Agora, falta combinar com o governo, que é quem vai pagar a conta. De qualquer maneira, acredito que há boas chances da proposta ser aceita, já que a equipe econômica tinha dado um limite de 7%. Ou seja, o percentual dos senadores tem uma margem um pouco superior a este patamar", observou o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, presidente da Força Sindical. Segundo ele, essa proposta do Senado acarretará um custo a mais de R$ 600 milhões ao montante final. "É um bom acordo. As centrais sindicais e as entidades de defesa dos aposentados se mostraram favoráveis. Além disso, os beneficiados terão um aumento real de 4%", destacou Paulinho, que espera que com aval da Fazenda, a medida possa ser votada na semana que vem. Se aprovado, seguirá para sanção presidencial. (Fernando Taquari | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.