O Senado americano aprovou nesta terça-feira, por 61 votos a favor e 37 contra, um plano de recuperação econômica de 838 bilhões de dólares.

O presidente Barack Obama, que apoia o plano, qualificou a aprovação de "boa notícia", mas ressaltou que ainda há muito trabalho pela frente.

O custo total do plano, inicialmente avaliado em 780 bilhões de dólares, acabará sendo de 838 bilhões, segundo uma estimativa do Departamento do Orçamento do Congresso (CBO, sigla em inglês).

O texto aprovado nesta terça-feira é resultado de um acordo entre a maioria democrata e três senadores republicanos moderados, Susan Collins, Arlen Specter e Olympia Snowe, que aceitaram votar a favor do plano depois de cortar gastos na versão anterior do projeto, que previa quase 940 bilhões de dólares.

A Câmara dos Representantes aprovara no fim de janeiro um plano de recuperação econômica de 819 bilhões de dólares, sem nenhum voto republicano.

As duas câmaras do Congresso precisam agora chegar a um acordo sobre um texto consensual.

O texto final terá que ser aprovado por cada uma das duas câmaras, antes de ser enviado à Casa Branca para sua promulgação.

Obama já disse que quer finalizar este processo antes do dia 16 de fevereiro, quando começa o recesso parlamentar.

"O tempo do debate sobre o projeto de lei foi produtivo, mas chegou ao fim", declarou Harry Reid, líder da maioria democrata, pouco antes da votação.

lal/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.