SÃO PAULO - O Senado dos Estados Unidos aprovou por ampla maioria na noite de ontem uma versão modificada da cláusula Buy American (Compre americano) contida no pacote de estímulo à economia do país. Pela cláusula, apenas produtos feitos nos Estados Unidos seriam usados nos projetos financiados pelo programa.

Legisladores que apoiam a medida alegam que ela ajudará a economia dos EUA porque dará impulso às companhias do país. A medida, contudo, trouxe receio na comunidade internacional por causa de seu caráter protecionista.

Ante esse temor, os legisladores americanos decidiram incluir uma emenda para tranquilizar os sócios comerciais do país e garantir o cumprimento de todas as obrigações contraídas nos acordos internacionais.

No texto já aprovado pela Câmara americana, a cláusula obrigava que os projetos de infraestrutura financiados com recursos do plano de estímulo utilizem ferro e aço americano.

Já a versão aprovada pelo Senado, a cláusula se estende também a produtos manufaturados, mas traz uma emenda que exige que o dispositivo seja "aplicado de maneira coerente" com os tratados de livre comércio ou pactos firmados pelos Estados Unidos com amparo da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O presidente americano Barack Obama havia alertado contra uma política protecionista porque seria "uma fonte potencial de guerra comercial". Aproveitou para pedir novamente ao Congresso que aprove "sem demora" o pacote de estímulo econômico proposto por sua equipe.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.