O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), afirmou na tarde desta terça-feira que a prioridade na pauta de votações serão ¿as medidas voltadas para enfrentar a crise financeira internacional¿. O colégio de líderes discutirá uma pauta de consenso para as próximas semanas em reunião marcada para amanhã.

Garibaldi observa que as votações no Senado caminham em ritmo lento devido o excesso de Medidas Provisórias (MPs) editadas pelo governo. Após 45 dias de tramitação, as MPs trancar a pauta do plenário e nada pode ser analisado antes delas.

O presidente pondera, entretanto, que a medidas anunciada ontem pelo ministro Guido Mantega, da Fazenda, e o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles - de aumentar os poderes do BC e oferecer novas linhas de crédito Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - não deveM enfrentar tanta resistência da oposição.

As MPs da crise são verdadeiramente urgentes e relevantes. Não é hora de discursos estéreis, e sim do que se pode fazer pelo País, afirma. O importante é que venha o ministro Mantega, o presidente do Banco Central, porque nada vai sair aprovado se não a base de muita discussão.

Esta manhã a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou um requerimento para Mantega e Meirelles falarem ao colegiado sobre os meios que o Brasil possui para se proteger da crise financeira mundial. Ainda não há data marcada para as reuniões.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.