Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Senado da Austrália rejeita pacote de estímulo fiscal

O Senado australiano rejeitou hoje um pacote de estímulo fiscal de 41,5 bilhões de dólares australianos (US$ 27,2 bilhões) proposto pelo governo. O pacote foi recusado por um total de 35 votos, numa votação apertada, com a coalizão Liberal-Nacional, principal opositora ao governo, e o senador independente Nick Xenophon votando contra.

Agência Estado |

Além dos senadores governistas, manifestaram-se a favor do pacote cinco senadores do Partido Verde e o senador do Partido da Família, Steve Fielding.

Um porta-voz do governo australiano confirmou que o pacote com medidas de estímulo voltará agora para a Câmara dos Representantes, onde o governista Partido do Trabalho tem a maioria. Ele sinalizou que o governo vai procurar pressionar a coalizão a aprovar o pacote.

Se for recusada duas vezes no Senado, a proposta será abandonada. Os senadores voltam a se reunir amanhã para avaliar o pacote pela segunda vez.

O plano é uma combinação de novos gastos e aceleração dos projetos já existentes para infraestrutura, habitação, centros profissionalizantes, eficiência energética de residências e estradas. Também está previsto um gasto de 12,7 bilhões de dólares australianos com um bônus em dinheiro para assalariados de baixa e média rendas, famílias com uma única fonte de renda, fazendeiros e estudantes, a ser pago a partir de março.

Desemprego

A taxa de desemprego na Austrália atingiu em janeiro seu nível mais alto desde junho de 2006, puxada pela deterioração da economia, que ameaça afetar a confiança do consumidor e provocar a necessidade de mais medidas de estímulo econômico no país.

A taxa subiu para 4,8% em janeiro, ajustada sazonalmente, ante 4,5% em dezembro, um movimento que foi particularmente explicado pelo aumento no número de pessoas que estavam procurando emprego no mês, disseram economistas. O Escritório Australiano de Estatísticas disse que a elevação foi a maior registrada em um mês desde abril de 2001.

Os números do desemprego foram divulgados um dia depois de o governo anunciar que a confiança do consumidor australiano continuou a cair em fevereiro. O Escritório disse ainda que a confiança dos empresários apresentou baixa recorde no quarto trimestre do ano passado e que as estimativas para os investimentos se reduziram a pó. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG