Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Senado americano vota pacote de socorro a bancos

O Senado dos Estados Unidos vota neste momento a nova proposta para o plano de resgate financeiro de US$ 700 bilhões proposto pelo governo do presidente americano, George W. Bush, disseram os dirigentes do Congresso. Depois da rejeição do plano original pela Câmara norte-americana, na última segunda-feira, a nova versão da proposta passará pelo Senado e depois será reenviado para a Câmara, onde pode sofrer novas alterações antes da aprovação final.

Redação com agências |

Acordo Ortográfico

 O líder da maioria democrata, Harry Reid, de Nevada, e o líder da minoria republicana, Mitch McConnel, do Kentucky, que anunciaram a votação, disseram que o plano incluirá uma cláusula sobre reduções tributárias rejeitada na segunda-feira pela Câmara de Representantes.

Também determinará que os seguros federais aplicados sobre os depósitos de até US$ 100 mil passarão a abranger montantes de até US$ 250 mil. Segundo Reid e McConnell, a redução tributária poderia ajudar a conseguir o voto dos republicanos.

Na segunda-feira, a Câmara de Representantes rejeitou por 225 votos a 208 uma versão do resgate financeiro que os dirigentes do Congresso e a Administração Bush tinham negociado durante o fim de semana.

A rejeição de contribuintes teve grande peso para a decisão dos deputados de não aprovarem o plano de resgate. A maior parte dos votos contra o pacote partiu do Partido Republicano, o mesmo do presidente George W. Bush, que está em final de mandato. Por isso, a nova versão do pacote de ajuda ao sistema financeiro trouxe mudanças que pretendem atender aos contribuintes - e eleitores.

A principal alteração diz respeito ao aumento do limite de depósitos bancários que passam a ser garantidos pelo governo - que passa de US$ 100 mil para US$ 250 mil. Também foram incluídos descontos nos impostos para promover o uso de fontes de energia renováveis por empresas, no total de quase US$ 80 bilhões, e a prorrogação e ampliação de outras reduções nos impostos para pessoas físicas e empresas.

Fontes legislativas disseram que Reid havia recebido apoio dos membros de seu partido para votar amanhã o plano que, segundo Bush reiterou ontem, é absolutamente necessário para evitar uma grave recessão.

(Com informações da Efe, Valor Online, Agência Estado e AFP)

 

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

 

Leia mais sobre o plano de resgate financeiro dos EUA

Leia tudo sobre: crise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG